A entidade filantrópica é uma “espécie” de entidade sem fins lucrativos, ela também atua de acordo com o interesse e necessidade da comunidade sem visar o lucro. Porém, as entidades filantrópicas estão mais voltadas para a assistência social, saúde e educação.

Como funciona uma entidade filantrópica

Uma entidade filantrópica funciona como qualquer outra organização sem fins lucrativos. A entidade também precisa de captação de recursos e o dinheiro que sobrar deve ser investido na própria organização.

O que é o CEBAS – Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social?
O CEBAS é um certificado garantido pelo Governo Federal às entidades, mas apenas aquelas voltadas para a área de assistência social, saúde e educação. Com este certificado as organizações são isentas de pagar certos tributos, como por exemplo, a cota patronal e o CSLL (Contribuição Sobre o Lucro Líquido) PIS e COFINS.

Como obter o CEBAS?

Para que uma organização possa obter o CEBAS é necessário que ela comprove que está atuando há pelo menos 12 meses, apresentar toda a documentação da entidade, como por exemplo, o CNPJ e uma cópia da ata de eleição dos dirigentes. E por fim, se inscrever no Conselho de Assistência Social Municipal.

Desafios que uma entidade beneficente enfrenta

O maior desafio que uma entidade beneficente enfrenta é a falta de recursos para seus projetos e/ou a má administração destes recursos. Para evitar estas dificuldades é preciso que a entidade não dependa somente de uma forma de captação de recursos, e se possível, a organização deve colocar uma pessoa profissionalizada para cuidar da captação de recursos e da administração financeira.

7 dicas para uma entidade filantrópica ter sucesso

  1. Produzir seus próprios produtos – a entidade ao produzir seus próprios produtos ela terá uma renda que não irá depender do governo ou de empresas privadas. Além disso, a própria organização pode organizar bazares e eventos para vender seus produtos.
  2. Qualidade acima de quantidade – para uma entidade filantrópica ter sucesso é necessário que ela preze pela qualidade acima da quantidade. Ao prestar seus serviços, a organização deve focar em ajudar as pessoas com eficiência e garantir a qualidade do que ajudar mais pessoas, mas sem muita eficácia.
  3. Além disso, a entidade também deve optar por menos projetos, mas projetos bem planejados e estruturados do que muitos projetos, mas projetos que não trazem bons resultados.
  4. Ter dirigentes e gestores profissionalizados – uma entidade é como uma empresa privada, porém, a diferença é que as organizações não visam o lucro. Por este motivo, assim como nas empresas privadas, as entidades também precisam de pessoas capacitadas a executarem o trabalho de forma eficiente.
  5. Ir atrás do CEBAS – este certificado é importante para que a entidade possa ter isenção de impostos, para que o recurso que seria gasto nestes impostos possam ser investidos na própria organização.
  6. Estar sempre estudando novas formas de captar recursos – o mundo está sempre em constante movimento de mudança e precisamos estar nos adaptando a essas mudanças. Por isso, é importante estarmos sempre nos reciclando, estudando novos conceitos e levando estes conceitos para dentro da entidade.
  7. Transparência – a transparência na prestação de contas é a melhor forma de publicidade que uma organização pode ter. Então, apesar de não ser obrigatório este tipo de transparência, coloque a prestação de contas da organização na página da organização. Isto trará mais credibilidade a entidade e facilitará para que ela possa captar recursos e consiga parcerias.
  8. Construir um nome para a entidade – para tornar uma organização reconhecida no mercado leva tempo, é algo que vai sendo construído aos poucos, porém, quando finalmente acontecer o nome da entidade terá peso e será mais fácil para que ela possa captar recursos.

5 erros fatais que as entidades filantrópicas cometem

  1. Depender somente das verbas do governo – um dos maiores erros que uma entidade pode cometer é a de pensar que ela só precisa dos recursos do governo para se manter, pois se o governo precisar cortar verbas e a entidade não tiver mais acesso a este recurso ela não terá como manter sustentar seus projetos e terá que fechar as portas.
  2. Achar que indicadores são perda de tempo – outro erro que as organizações costumam cometer é a de pensar que os indicadores são perda de tempo. Os indicadores são muito importantes para que a entidade veja como os projetos foram eficazes, ver os pontos fortes e fracos da organização e para que ela possa fazer um planejamento do próximo ano com base nos dados dos indicadores.
  3. Não ter um bom planejamento – muitas entidades acabam tendo que fechar, pois não tinham um bom planejamento desde o começo, antes mesmo da organização abrir suas portas. Para que uma entidade seja bem sucedida é essencial ter um bom planejamento e uma ótima gestão.
  4. Dar um passo maior do que a perna – é importante ter sempre em mente que é preciso ter paciência e dar um passo de cada vez, não adianta querer resultados imediatos, por isso é necessário ter uma visão a longo prazo. Não adianta ter pressa, a entidade irá crescer no seu devido tempo.
  5. Querer fazer mais do que deve – uma organização precisa manter seu foco e não se desviar de seu propósito. Muitas organizações acabam por falhar por quererem fazer mais do que aquilo que está em sua missão e acabam por perder a sua finalidade.
  6. Considerações finais

As entidades filantrópicas, assim como qualquer entidade sem fins lucrativos, são muito importantes para a sociedade. E é importante que estas entidades possuam o CEBAS, pois desta maneira, a organização será isenta de pagar tributos ao governo, podendo investir este dinheiro em seus próprios projetos.

Apesar de levar certo tempo para conseguir este certificado, ele vale a pena ser obtido. Para informações mais detalhadas sobre o CEBAS e como consegui-lo, procure o auxílio de um especialista.

Terceiro Setor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here