Um novo recurso implantado no Mapa das Organizações da Sociedade Civil mostra aos usuários o índice de preenchimento das informações por parte da OSC. Isso significa que quanto mais os representantes cadastrados das organizações inserirem informações sobre a entidade, maior será o percentual de preenchimento da OSC. Sempre que uma OSC preencher 50% ou mais de suas informações ela receberá um “Selo de Preenchimento do Mapa das OSCs” reconhecendo o compromisso e a contribuição das organizações para ampliar o conhecimento disponível sobre o setor.
Além disso, o preenchimento das informações no Mapa por parte das OSCs é de extrema importância para que a organização dê visibilidade às suas ações, projetos e áreas de atuação, garantindo um ambiente de transparência pública e credibilidade para o setor. Assim, para que a página da OSC no Mapa seja contemplada com o “Selo de Preenchimento do Mapa das OSCs”, é necessário que ela tenha completado 50% ou mais das informações disponíveis na plataforma.
O Selo tem caráter simbólico e varia conforme o percentual de preenchimento. O Selo Bronze será atribuído àquelas OSCs que possuírem entre 50% e 70% de informações preenchidas. O Selo Prata equivale ao intervalo de 71% a 90% e o Selo Ouro para aquelas OSCs que preencherem entre 91 e 99% dos dados. Aquelas OSCs que preencherem 100% dos campos disponíveis no Mapa receberão o Selo Diamante.
Mais novidades: Além da implantação do Selo, o Mapa conta agora com um repositório de artigos científicos (clique aqui para visualizar). O objetivo é reunir estudos que contemplem a temática das OSCs e utilizem os dados reunidos na plataforma para embasar pesquisas, desenvolver análises, entre outras possibilidades. Outra novidade é a seção Imprensa, na qual é possível acompanhar por meio de releases e comunicados, eventos, notícias e demais ações envolvendo o Mapa (clique aqui para acompanhar).
* CAMPANHA
 
 


O Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis) e o Mapa das Organizações da Sociedade Civil convidam a todos a melhorarem seus cadastros no Mapa das OSCs. A ação faz parte da campanha Se Liga!, lançada este mês, com o objetivo principal orientar as organizações a se prepararem para captar recursos de maneira mais eficaz. Além de atualizar as informações no Mapa, é importante que as OSCs mantenham seus sites atualizados, com dados claros do tipo: causa em que atua, formas de trabalho, principais resultados conquistados e, o mais importante, um botão ou uma seção com informações de “como doar”. Para participar da campanha e saber mais, basta acessar o site do Idis.


* NA MÍDIA 1
O lançamento da publicação “Perfil das OSCs no Brasil” foi noticiado pelo boletim Inside, produzido pela International Society for Third-Sector Research (ISTR), com sede em Maryland, nos Estados Unidos. Veja o texto (em inglês).
* NA MÍDIA 2
A publicação também foi destaque no jornal Valor Econômico. Reportagem com a participação de Felix G. Lopez, pesquisador do Ipea e responsável pela organização da obra, mostra como as OSCs vêm enfrentando a crise no repasse de verbas.
* NA MÍDIA 3
O Mapa foi destaque da matéria intitulada “Falta de capacitação e recursos impedem trabalho da organizações da sociedade civil”. Assinado pela Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o texto foi publicado no site da Câmara dos Deputados.
* OPORTUNIDADE
 
Mapa e Prosas fecham parceria para divulgação de editais voltados para OSCs
O Mapa das Organizações da Sociedade Civil e o Prosas Tecnologia Social Ltda. firmaram uma parceria para divulgação de chamadas e editais voltados para a celebração de acordos entre OSCs e poder público. A medida faz parte de uma das estratégias do Mapa de sistematizar e aprimorar informações sobre o terceiro setor, ampliando a utilização da plataforma e facilitando o acesso das OSCs às oportunidades de formalização de projetos e parcerias em andamento no país. Tratam-se de dados complementares, atualizados periodicamente, que podem ser acessados de maneira simples e visam, entre outros objetivos, colaborar com a promoção e o fortalecimento de captação de recursos no Brasil e, consequentemente, com a sustentabilidade financeira das organizações. Clique aqui para acessar os editais.
 

            * MAPA NA LIVRARIA
 

 

A Tapera Taperá, livraria de São Paulo, foi palco na noite de 16 de agosto de um debate sobre o perfil das Organizações da Sociedade Civil (OSCs). Estiveram presentes Janine Mello, coordenadora do Mapa das OSCs (IPEA), Laís Figueirêdo Lopes, advogada e pesquisadora também do Mapa, Eleutéria Amora, diretora nacional da Associação Brasileira de Organizações Não-Governamentais (Abong), e Aline Gonçalves de Souza, pesquisadora do Projeto Estado e Sociedade Civil da Coordenadoria de Pesquisa Jurídica Aplicada da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Direito-SP. Transparência e possibilidades de repasses financeiros  às OSCs permearam as discussões.

      * MAPA NA ESCOLA

 

​À convite da Escola Aberta do Terceiro Setor, o Mapa das OSCparticipou da gravação de duas aulas temáticas que serão disponibilizadas – de forma gratuita – no site da Escola. O objetivo do projeto é capacitar, via vídeo-aulas, profissionais da área para que possam administrar melhor suas organizações, favorecendo o empreendedorismo. A primeira aula foi gravada pela advogada do Mapa das OSCs Laís Figueirêdo Lopes (foto). A segunda, gravada pela equipe de Comunicação do Mapa, destacou estratégias de Comunicação para o desenvolvimento das organizações.



* INFORMAÇÃO

 

Sustentabilidade financeira das OSCs é tema de webserie em 8 episódios

A webserie “Sustenta OSC”, lançada no segundo semestre deste ano, retrata desafios para o fortalecimento da sustentabilidade econômica das organizações. No total, são oito episódios, de até dez minutos cada, disponíveis no Youtube, que abordam temáticas como: cultura de doação, incentivos fiscais, fundos patrimoniais, entre outros. Grande parte dos dados utilizados nos programas é do Mapa. A produção é uma parceria entre o Grupo de Instituto, Fundações e Empresas (GIFE), Coordenadoria de Pesquisa Jurídica Aplicada da Escola de Direito da Fundação Getulio Vargas (FGV Direito-SP), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com o apoio da União Europeia, Fundação Lemann, Institutos Arapyaú e C&A.


* PUBLICAÇÃO

 
Evento em São Paulo marca lançamento do “Perfil das Organizações da Sociedade Civil no Brasil”
Um debate realizado no auditório da Fundação Getúlio Vargas (FGV) Direito, no dia 16 de agosto, marcou o lançamento da publicação “Perfil das Organizações da Sociedade Civil do Brasil” em São Paulo. A obra, que reúne dados inéditos sobre as principais características das 820 mil OSCs em atividades no país hoje, é resultado do trabalho conjunto entre a equipe do Mapa, representantes das entidades e especialistas no tema, entre eles membros do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade de São Paulo (USP Leste), Fundação Getulio Vargas (FGV) e Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong).
O evento em São Paulo contou com a participação de Francisco Marta (IBGE), Ana Peliano, Laís Lopes e Janine Mello (Ipea), Aline Vioto (Gife), Aline Souza  (FGV)  e  Euletéria  Amora  da Silva (Abong). Flávia de Holanda Schmidt Squeff – diretora-adjunta  da  Diretoria de  Estudos e Políticas do Estado, das Instituições e da Democracia (Diest) do Ipea –, José Marcelo Zacchi (GIFE), Oscar Vilhena Vieira (FGV-Direito) e Denise Verdade, representante da União Europeia, estavam presentes na mesa de abertura. A apresentação dos trabalhos ficou por conta de Eduardo Pannunzio (FGV-Direito SP).
Os principais pontos da publicação foram apresentados pela coordenadora atual do Mapa, Janine Mello. Durante sua fala, ela destacou a disposição geográfica das OSCs pelo país que, segundo a pesquisadora, acompanha, em geral, o arranjo da população, com a região Sudeste abrigando 40% das organizações, seguida por Nordeste (25%), Sul (19%), Centro-Oeste (8%) e a região Norte (8%).
Além disso, Janine explicou que Desenvolvimento e defesa de direitos e interesses e Religião são as principais finalidades das OSCs em funcionamento no Brasil hoje, representando seis em cada dez organizações em atividade. Outro ponto mencionado é com relação à natureza jurídica das organizações. “Do universo das OSCs, 709 mil (86%) são associações privadas, 99 mil (12%) são organizações religiosas e 12 mil (2%) são fundações”.
Um dos dados que mais chamam a atenção na publicação, é que, ainda de acordo com Janine, das OSCs mapeadas, 83% não apresentam vínculos formais de emprego. “Outros 7% delas têm até dois vínculos de trabalho, totalizando 90% de OSCs que possuem até dois vínculos”, disse. Sobre o perfil das pessoas empregadas por OSCs, em 2015, 66% não tinham nível superior completo; 13% possuíam o nível fundamental e 49% detinham o nível médio completo. “Outro ponto importante é que as mulheres predominam entre as pessoas empregadas em OSCs, representando 65%. Elas recebem, em média, 85% do salário de homens, e ocupam cargos como enfermeiras, serviços de limpeza etc.”.
Já com relação ao repasse de recursos públicos, Janine mostrou que, entre 2010 e 2017, foram transferidos da União para as OSCs o total de R$ 75 bilhões.
Clique aqui para assistir ao vídeo com a íntegra do evento. Já para ter acesso à publicação completa  Perfil das OSCs no Brasil, basta acessar o Mapa, e baixar o arquivo em PDF, clicando aqui.

* ESPECIAL

Pesquisadores apresentam trabalho baseado em dados do Mapa em congresso científico
O trabalho “O perfil demográfico e a escolaridade dos trabalhadores formais das OSCs em 2015” foi apresentado no XXI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, realizado entre 22 a 28 de setembro de 2018, em Poços de Caldas, Minas Gerais. A pesquisa foi feita em conjunto por Pedro Gomes Andrade, Felix Lopez, André Vieira e Ana Camila R. Pereira (foto), todos membros da equipe do Mapa. Entre os principais resultados, a pesquisa indica que o mercado de trabalho formal das OSCs é majoritariamente feminino, exceto para organizações que atuam na em Cultura e Arte. Além disso, os níveis de escolaridade e distribuição etária dos trabalhadores em OSCs são distintos, entre as diferentes finalidades de atuação e por sexo.
Fonte: Ipea
Terceiro Setor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here