Bacharéis e técnicos em ciências contábeis inscritos para realizar o exame de suficiência do CFC (Conselho Federal de Contabilidade) foram surpreendidos com a notícia de que o exame havia sido cancelado. O motivo foi um ataque cibernético que afetou o site da empresa responsável pelo exame, a Consulplan.

Mais de 80 mil pessoas se inscreveram para fazer a prova, segundo o CFC. A aprovação no exame é um dos requisitos para a obtenção de registro profissional. Uma prática semelhante a que ocorre com o Exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil)

Apenas duas edições da avaliação são aplicadas por ano. Essa seria a segunda e ainda não se sabe quando será a nova data.

“Eu e vários colegas não conseguimos sequer logar no site para realização do exame. Ficava aparecendo mensagem de erro. Até que meia hora depois do início previsto, por volta das 10h, recebemos o comunicado sobre a suspensão”, explica a estudante Natália Barbosa, 27, que faria a prova pela primeira vez:

“Muita gente precisa da aprovação no exame para poder entrar no mercado de trabalho.”

A Consulplan, por meio de nota, informou a Tilt que as investigações preliminares mostraram que o site foi alvo de um ataque cibernético categorizado como DoS (da sigla em inglês Deny Of Service), mas não deu maiores detalhes de como o ataque impactou os seus sistemas. Disse apenas que a ameaça visou deixar o serviço indisponível, sem que houvesse acesso a informações ou vazamento de dados dos examinandos.

Em ataques do tipo DoS, cibercriminosos podem gerar uma sobrecarrega proposital no servidor alvo para que recursos do sistema parem de funcionar, como páginas web hospedadas nele. Outra estratégia é gerar um tráfego de dados grande para uma rede. Assim, qualquer computador conectado a ela fica indisponível. Não há invasão ou distribuição de vírus.

“Toda equipe de tecnologia da Consulplan, juntamente com consultores e auditores contratados pela organizadora estão atuando incessantemente para verificar a origem dos ataques e identificar os possíveis envolvidos na ocorrência, sendo certo que as medidas cabíveis serão tomadas assim que os fatos forem totalmente esclarecidos”, diz a nota.

Problemas anteriores

Em agosto, na primeira edição do ano da prova de suficiência, que já foi realizada online devido à pandemia do novo coronavírus, também foram registradas reclamações por parte dos que fizeram o teste, sobretudo pela demora no acesso às questões, problemas com a contagem de tempo nas questões e lentidão no sistema, entre outros.

Em nota, o CFC destacou que, antes da segunda edição do exame, realizou com a Consulplan várias reuniões técnicas, considerando, inclusive, o aumento expressivo no número de candidatos— passando de 80 mil inscritos— e as sugestões dadas por candidatos que realizaram a prova há alguns meses.

O Conselho afirmou que pediu à Consulplan o laudo técnico de todas as intercorrências que inviabilizaram a realização do exame e que também solicitou à empresa contratada para auditar e acompanhar o desempenho do sistema eletrônico de prova, um laudo preliminar sobre o ocorrido.

 

Fonte: tilt

Terceiro Setor

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here